sábado, 10 de maio de 2014

Ativos e passivos - um pouco de capitalismo


Acho que depois de falar sobre inflação, índices é interessante abordar algo mais concreto, como contabilidade pessoal e três conceitos interessantes: ativos, passivos e patrimônio líquido.

A conotação destes termos, segundo as regras da contabilidade são um pouco distintas, e aqui quero enfatizar mais no significado das palavras do que em sentido contábil. Poderia simplificar este post a estas três "definições":
  • Ativos: a soma de todos os seus bens, investimentos e dinheiro em contas correntes (ou embaixo de seu colchão);
  • Passivos: Dívidas;
  • Patrimônio Líquido = Ativos - Passivos.

Ou poderia falar de uma forma mais bonita:

  • Ativos são a soma de seus bens mais os direitos, também chamado patrimônio bruto;
  • Passivos são todas as suas obrigações com terceiros que ainda não foram quitadas;
  • Patrimônio líquido é a simples subtração dos ativos pelo passivos.

Algumas explicações, bens são tudo aquilo que possui um valor econômico, podem ser móveis (carros, móveis, utensílios), imóveis (casas, edifícios), financeiros (ações de uma empresa, cotas em fundos), intangíveis (marcas, patentes), enquanto que direitos é tudo aquilo que se tem para receber, aluguéis, salários, restituições, etc. Ao passo que as obrigações são as dívidas com terceiros não quitadas, como imposto a recolher, cartão de crédito, crédito rotativo, empréstimos e etc.

Bem, essas definições são mais úteis para uma empresa, do que para nós mortais. Em nossa "contabilidade caseira" não devemos nos preocupar muito com toda esta terminologia, embora conhecê-la seja importante.

Afinal, depois de toda essa história, que me importa saber o que é ativo, passivo e patrimônio?
Organização e controle. Saber para onde está indo seu dinheiro e quais são seus maiores gastos. Estimar qual sua economia mensal, que contribuirá para que seus ativos cresçam ou determinar qual seu excesso de gastos mensais que acabam minando seus ativos.

Isso é importante para que você possa avaliar quando comprar um novo bem, seja um casa, carro dos sonhos. Com um pouco de organização, é possível estimar metas e prazos para cumprir seus projetos pessoais de vida. Mas é importante que se tenha controle e organização.
Sob a ótica destes três conceitos, a organização das finanças pessoais é bastante simples: seus ativos compreendem tudo aquilo em que você tem dinheiro aplicado: conta no banco, ações, imóveis, poupança, fundos, ou que de algum produza retorno financeiro; Na parte de passivos, você lançará suas dívidas: cartões de créditos, empréstimos, financiamentos.
E após ter classificado toda sua renda, algumas considerações são interessantes:

  • Patrimônio líquido positivo (Ativos > Passivos) significa que você esta bem financeiramente falando, contas equilibradas e em caso de alguma emergência que necessite de dinheiro, você o teria disponível. 
  • Patrimônio líquido é negativo, significa que você tem uma dívida maior que seus bens, ou seja, mesmo que você venda tudo que tem, continuará devendo, esta condição é problemática, pois tem a tendência a levar a pessoa a pedir mais e mais empréstimos e em caso de emergência se vê obrigado a recorrer a parentes ou ao banco para manter as contas não ir a falência.
Existem ainda duas condições extremas:

  • O cara sem dívidas, em que o passivo é igual a zero, algo muito bom, mas pode não ser tão vantajoso.
  • E aquele em que os ativos são nulos ou possui somente ativos que só geram passivos (carros, casa própria, etc) e para completar, tem diversos passivos (financiamentos, empréstimos). Em resumo, depende exclusivamente de seu salário (muitas vezes, comprometido em quase sua totalidade)

Este último caso extremo, é bastante complexo e percebo, por experiência pessoal, que ele tende a acontecer com pessoas que não compreendem bem a educação financeira e acabam colocando em risco o mês seguinte com algum gasto não previsto, que levará a um aumento de passivo e restringirá ainda mais seu poder de compra, aí não terá como comprar nenhum bem a vista, que acarretará em novo financiamento e assim temos um círculo vicioso de uma pessoa que acha que tem muito, mas depende exclusivamente da concessão de crédito do banco (e ainda pior: sujeito às taxas de juros).

O primeiro passo para fugir deste caminho tortuoso de empréstimos, financiamentos e parcelamentos sem fim é o que já disse antes: organização e controle, com um pouco de tempo e boa vontade, organizar as contas pode levar a indicações de onde estão os gastos desnecessários e onde deveria estar se gastando mais e não está.
Existem diversas planilhas online para auxiliar na montagem de seu orçamento (Bovespa10 Planilhas da Exame), qual é a melhor? Só você saberá escolher, mas é MUITO IMPORTANTE que você verifique se seu orçamento está sendo executado conforme o planejado para poder avaliar melhor gastos futuros ou mesmo investimentos futuros.
Além disso, é fundamental que se entenda a ideia de ativos e passivos, classificando toda sua renda, para saber qual sua atual situação financeira e o que pode fazer para melhorá-la.

Pretendo escrever mais sobre assunto e explicar ainda alguns conceitos que muitos acreditam que sejam "investimentos" (ativos), como carros, seu imóvel próprio e itens domésticos.