domingo, 11 de maio de 2014

Super investimento: Carro zero!


Olá a todos, hoje quero falar de um super investimento atual: seu carro!
Juros baixos, cortes no IPI, este é o momento do carro zero e ainda temos parcelamentos sem juros!

...

Pode até ser um bom negócio tudo isso, para quem precisa de um carro... Mas não é um investimento, se realmente fosse a aquisição de um automóvel iria contribuir para sua conta de ativos.

OPA! Mas o carro é um bem, não? Ele é um ativo por definição! Está aqui.

Correto, o carro ele está na coluna de ativos, pois é um bem e possui valor, contudo, ele não contribui para aumentar seus ativos, ele faz exatamente o contrário, aumenta seus passivos!
Automóvel tem custos com IPVA, manutenção e combustível, pior ainda: deprecia. Todas estas características tornam o automóvel um grande custo. Mas não é por este motivo que não se deve comprar um, aliás não é nem este o objetivo deste post. Não é tentar convencer o leitor a não comprar um carro, esta discussão está em outro campo, o da mobilidade urbana.

O que quero passar, é que o carro é um grande custo extremamente mal planejado, as pessoas compram mas não fazem contas básicas como: o quanto gastarão de combustível, IPVA, manutenção e depreciação. Muitos até estimam os três primeiros, mas nem sabem o que é o quarto elemento de custos do carro.

Depreciação

É simplesmente a desvalorização de um ativo ao longo do tempo. Ou seja, conforme o tempo passa seu bem vale menos. Ao sair de uma concessionária seu carro desvaloriza automaticamente 20%, devido a diversos custos da revendedora com impostos estaduais (afinal, se você vender seu carro de volta o governo não devolverá o ICMS da transação).
Mas não sei quanto a vocês, leitores, eu não sou a favor de se comprar um bem de R\$40000,00 e sair da loja com ele valendo R\$36000,00. Sabem é uma perda de R\$4000,00... Quantas coisas se podem comprar com este dinheiro?
E olha, estou falando aqui da depreciação de 1 segundo após a loja, depois de um ano ou dois, o valor cai para dois terços do original (ou menos em função das condições de mercado). Mas então não se pode comprar um carro zero? Pode, mas é interessante buscar um negócio bom, descontos, parcelamentos sem juros (este caso exige um pouco mais estudo, mas de forma geral compensa se você tem o valor a vista do automóvel). Ou talvez a aquisição de um semi-novo. Dependerá de seus sonhos, objetivos e condição financeira. Carros zeros, teoricamente, exigirão menos manutenções, menores gastos no curto prazo. Ainda assim, esse "ganho" empata com a depreciação, na melhor da hipóteses.

O que fazer então? Deixar de comprar se preciso? Bem, se é tão necessário, paciência. O principal é fazer todas as contas, pois a aquisição do automóvel contribuirá com suas despesas e redução de ativos ao longo do tempo, minando outros sonhos, como casa própria, bens, férias com a família etc.

Sempre tenha objetivos e metas, sem isso, suas contas nunca estarão em dia. Apenas lembro a todos que as propagandas de parcelamento e IPI reduzido querem que você compre, pois afinal alguém tem que sustentar o sistema, só não precisa ser você.